A diferença entre tatuagem “comercial” e tatuagem “autoral”

Você sabe a diferença entre uma tattoo comercial e uma tattoo autoral?

0
1146
A diferença entre tatuagem “comercial” e tatuagem “autoral”

Quem tem planos de fazer uma tatuagem sabe que escolher um desenho para eternizar na pele não é uma tarefa assim tão fácil. Aliás, para muita gente essa decisão beira o impossível. Quando se é um tatuador, também é preciso escolher quais tatuagens fazer ao longo do seu amadurecimento profissional, para definir um estilo, buscar evoluir suas técnicas e para ganhar nome no mercado.

Na hora de tomar essas decisões, existem dois caminhos: fazer uma tattoo comercial ou ou uma tattoo autoral. Existem tatuadores que simplesmente não aceitam fazer desenhos comerciais, da mesma maneira que existem outros que não sabem ou não gostam de fazer desenhos autorais, e tudo bem. Existe público para todos. Portanto, se você é cliente, entender a diferença entre os dois tipos pode facilitar o difícil momento da escolha.

Tatuagem comercial

As tatuagens comerciais geralmente são desenhos mais “comuns”. Podem ser reproduções idênticas de um desenho que já existe ou seguir temas muito frequentes (como estrelas, símbolos do infinito, âncoras, etc). Em tatuagens comerciais, normalmente o cliente leva uma ou mais referências encontradas na internet e pede que o tatuador reproduza na sua pele. O maior problema de escolher uma tattoo dessa maneira é que provavelmente centenas de pessoas também terão tatuagens iguais ou muito parecidas com a sua. Outro problema é que a sua tatuagem corre algum risco de ser plágio de uma tatuagem autoral, mas falaremos sobre isso daqui a pouco.

Uma forma de diminuir a chance de ter uma tatuagem igualzinha a de outra pessoa é buscar inspirações, mas não copiar exatamente uma tattoo que já foi executada. Peça que o seu tatuador faça alterações, personalize o design de algum modo ou mesmo refaça a tattoo com o traço dele (ele vai ficar muito feliz se você pedir isso), tornando-o um pouco mais pessoal.

Outra forma de escolher uma tatuagem comercial é indo até o estúdio de tatuagem de sua preferência e escolher uma das opções que ficam disponíveis no portfólio (também chamado de book). Alguns tatuadores possuem vários books com desenhos vastamente replicados em inúmeras peles por aí. Caso você escolha uma delas, é muito provável que alguém que veio antes de você também já tenha escolhido.

Não tem nada de errado em fazer uma tatuagem comercial, desde que saiba que não terá algo inédito. Além disso, como tudo em nossa sociedade, as tatuagens seguem tendências, onde cada geração tem a sua. Assim, se for fazer uma tattoo da moda, vale a pena escolher um desenho que realmente faça algum sentido pra você, porquê as modas são passageiras mas sua tatuagem será permanente.

Se você chegou a dar uma olhada nas tatuagens mais recentes você deve ter notado Flores de Dandalion que se tornam pássaros, “Coroinhas” no pulso, e por aí vai. Em outras épocas também não foi diferente. Nos anos 90 tatuou-se um exército de pessoas com borboletas, fadas, sol com lua, “carpe diem” e pimentinhas. Nos anos 2000, o grande fenômeno foram as estrelas, tribais e letras japonesas. Em seguida vieram as patinhas de animais, números romanos, passarinhos, penas e mandalas nos anos 2010. Ano passado foi a vez das setas, glifos, linhas de batimentos cardíacos, filtros de sonhos, aquarelas e coordenadas geográficas. E claro, todos esses anos símbolo do infinito manteve-se sempre implacável.

Tatuagem Autoral

Já as tatuagens autorais são exclusivas e criadas unicamente por um artista para o cliente específico. O tatuador desenvolve uma ilustração personalizada que não será reproduzida em mais ninguém (pelo menos essa é a idéia né). É claro que não dá pra garantir que sua tatuagem será a única no mundo para sempre, pois nada impede que alguém veja uma foto da sua tattoo em algum lugar e peça para outro tatuador fazer igual. De qualquer modo, dessa forma os riscos são bem menores.

Para fazer a tattoo dos seus sonhos você precisa encontrar um tatuador de confiança e que você se identifique em termos de estilo, cores, traços e técnicas. Converse abertamente com ele, discuta suas ideias, qual tema você quer e então peça que ele crie um desenho para você. Não adianta ter pressa, respeite o processo criativo do artista. Normalmente estas tatuagens são mais caras e trabalhosas, pois envolvem um trabalho de criação como o de uma obra de arte. O preço e a espera valem a pena se você faz questão de marcar sua pele com algo especialmente seu.

Uma alternativa um pouco mais fácil e barata de ter uma tatuagem autoral estampada na pele é ficar ligado nos Flash Days, que são dias em que os tatuadores disponibilizam portfólios diferenciados com desenhos autorais. O bacana é que cada artista faz um número limitado de desenhos, normalmente não muito demorados, e as opções vão ficando indisponíveis à medida em que são escolhidas, então se você comprar alguma das ilustrações, ninguém mais pode fazer igual.

Direitos autorais e tatuagem

A diferenciação entre as tatuagens de autor e as tatuagens comerciais tem criado algumas polêmicas. A primeira delas é a mais óbvia: nada impede que algum tatuador copie o desenho autoral de outro tatuador. Além de ser uma atitude antiética, isso é injusto com o cliente, desvaloriza o trabalho do artista original e desvaloriza mais ainda o de que quem plagiou. Ou seja, prejudica o mercado como um todo. Outro perigo é o de copiar artistas de outros meios – como tatuar uma obra do Romero Britto por exemplo. Se é uma boa ideia ou não, não vem ao caso (rs), porém ele é detentor dos direitos autorais e tem todo o direito de não gostar de ver o trabalho dele sendo explorado por outra pessoa. O mais educado e mais correto seria pedir a autorização do artista para reproduzir suas obras, mas nem sempre isso é possível, e sem falar que teoricamente essa é uma grande homenagem à sua arte, o que deixa essa discussão em aberto…

O segundo debate que vem se tornando cada vez mais recorrente não é entre artistas, mas sim entre o tatuador e o cliente: a quem pertencem os direitos autorais da tatuagem? Essa questão costuma trazer problemas apenas no caso de pessoas públicas, que ganham dinheiro com sua imagem. Um caso famoso ocorrido recentemente foi o do David Beckham, que usou a tatuagem de anjo que ele tem nas costas em uma campanha publicitária. É justo que o jogador faça rios de dinheiro em cima do desenho, da técnica e do talento do artista Louis Molloy, que foi quem criou a tatuagem? O caso terminou na justiça e a vitória foi do tatuador. De todo modo, essa discussão vai longe e é assunto para outro post…

Se você vai fazer uma tatuagem autoral ou uma tatuagem comercial, isso não importa, desde que seja o que você escolheu. Agora que você já sabe diferenciar as duas, converse com um tatuador e mão à massa, ou melhor, tinta na pele! E se você é tatuador, desenvolva seu próprio estilo para que suas tattoos autorais sejam reconhecidas, mas não tem nenhum problema fazer tatuagens comerciais também. Lembre-se apenas de ser sempre ético e não copiar o trabalho de ninguém. O importante é que os dois lados fiquem felizes e orgulhosos do resultado 😉

 

Fontes:

  1. https://www.tattoodo.com/a/2015/03/tattoo-copyright-what-you-need-to-know/
  2. https://www.publico.pt/2016/12/12/local/noticia/moda-das-tatuagens-do-circuito-comercial-a-tatuagem-de-autor-1754266
  3. http://metropolitanafm.com.br/novidades/entretenimento/tatuagens-que-quase-todo-mundo-fez-nos-anos-90-e-2000
  4. https://www.modices.com.br/comportamento/flash-tattoos-minimalistas/
  5. http://metropolitanafm.com.br/novidades/entretenimento/tatuagens-que-quase-todo-mundo-fez-nos-anos-90-e-2000
  6. https://www.terra.com.br/vida-e-estilo/beleza/sua-pele/tatuagens-veja-cliches-para-nao-se-arrepender-depois,a752ecf3ace783ae8b02192e6855b133i1npRCRD.html
  7. https://sports.vice.com/en_us/article/d7mz4m/who-owns-tattoos